Google+ convida usuários a se tornarem Beta Testers

O Google está a procura de usuários ativos do Google+ para um programa de testes que permitirá conversar com a equipe do produto e experimentar novidades e recursos da rede social antes de todo mundo.

Resultado de imagem para google+

“Estamos a procura de pessoas que querem testar novas funcionalidades, bem como discutir com a nossa equipe de produto e outros colegas beta testers sobre como fazer Google+ o lugar para compartilhar seus interesses”, disse a empresa.

Para se candidatar, algumas exigências são feitas pela gigante:

  • Ser um postador ativo no Google+
  • Motivação para aprender mais sobre o Google+ e contribuir para a discussão do produto
  • Ânsia de fornecer feedback de alto nível sobre o produto

Se você atende a esses requisitos, é fácil, só precisa se cadastrar neste link:

Fonte: https://googlediscovery.com/2017/02/17/google-convida-usuarios-se-tornarem-beta-tester/

A Evernote também vai para a nuvem


Fonte: Evernote Brasil

 O que? Mas o Evernote não é na nuvem?

 Sim, mas é a sua nuvem. Agora o Evernote vai tirar seus serviços e servidores dos seus Data Centers buscando escalabilidade, agilidade e maior eficiência.

 Com isso, pretendem melhorar o que já era bom em questões de segurança e também de funcionalidades como no artigo em seu blog oficial.

 Após 8 anos de existência e mais de 200 milhões de usuários ativos, a equipe do Evernote avaliou que era o momento de partir para a nuvem. As atualizações, implementações e melhorias estavam demorando tempo demais para o volume de usuários que hoje utilizam a plataforma.

“Até agora, a Evernote era proprietária, configurava, e mantinha seus próprios servidores e redes. Esta abordagem nos deu a capacidade de construir o serviço da maneira que queríamos construi-lo. Mas isso também é limitador — caro para manter, lento para atualizar, e difícil de escalar. E, apesar de a infraestrutura atual ser perfeitamente adequada para suportar a Evernote da forma que está hoje, falta a velocidade e a flexibilidade que precisamos para amanhã.”

Na prática, nada muda para o usuário final. Nada em termos perceptíveis. Mas em um futuro breve muita coisa pode acontecer como o mesmo artigo cita que a criptografia-at-rest deve ser implementada em breve. Algo que muitos usuários já pediam a um bom tempo.

 Vale citar que a Evernote deixou claro que suas Três Leis de Proteção de Dados permanecem de pé:

  • Seus dados pertencem a você
  • Seus dados estão protegidos
  • Seus dados são portáteis

Interessante é que a nuvem escolhida para hospedar toda essa estrutura maravilhosa é a Google Cloud Patform


Com a migração dos dados iniciando em Outubro e com previsão para término até o fim do ano de 2016, a Evernote ainda terá acesso a algumas das tecnologias do Google como tradução, gerenciamento de fotos e pesquisa por voz para dar ainda mais poder ao já poderosíssimo Evernote.

Conhecendo essas duas gigantes dá para se dizer que é uma parceria com futuro!!!

Evernote lançou atualização para Windows — Versão 6.2 e algumas melhorias interessantes

O Evernote (meu segundo cérebro) lançou hoje uma nova versão para o sistema operacional Windows. A versão 6.2 trouxe algumas melhorias e algumas novas funções.


Dentre as melhorias estão a capacidade de alterar a pasta onde o banco de dados do Evernote é salvo no seu computador. Alterando automaticamente, em um primeiro momento para a sua pasta de Usuário do computador. Isso possibilita uma melhor escolha para aquelas pessoas que queiram realizar um backup do banco de dados, usar o mesmo em outro HD, ou pelo menos saber onde está salvo no computador.


Outra melhoria é a possibilidade de mostrar os atalhos criados em uma barra separada, não tendo de ficar presa visualização lateral ou superior do software.

 Agora, uma das funções criadas muito me agrada..

 A pré-visualização das notas no formato de exibição de ícone agora é muito mais útil, pois ela traz realmente uma pré-visualização da nota e inclusive em tamanhos proporcionais as imagens ou textos nela contidos. Bem parecido com o Google Keep…

Antes da atualização


Depois da atualização


Já conhece o Evernote? Se não conhece, cria uma conta lá e te diverte. Ele pode mudar a tua vida!!!

Cadastre-se aqui

10 dicas de como se proteger de Sequestro de dados (Ransomwares)

Ransomware é uma espécie de malware (parecido com vírus) que criminosos instalam em seu computador sem seu consentimento. O ransomware dá aos criminosos a capacidade de bloquear parte de seus arquivos ou o computador inteiro de um local remoto. Após o bloqueio, o criminoso apresenta uma “proposta” para que seus dados sejam novamente desbloqueados. Essa proposta é geralmente um alto valor em dinheiro e que deve ser paga de formas bastante complexas para que não seja rastreável.

Observação: NÃO RECOMENDO O PAGAMENTO SOB HIPÓTESE ALGUMA!!! PROCURE UM PROFISSIONAL DE SEGURANÇA!!!

O ransomware é instalado no seu computador quando você abre um anexo de e-mail mal-intencionado, quando clica em links de sites de reputação questionáveis, recebe links infectados em sistemas de mensagem instantânea, rede social ou qualquer outro meio. Acessou algo duvidoso, está passível de instalação de um ransomware.

Portanto, segue abaixo alguns cuidados básicos para evitar a instalação do ransomware e como se proteger de forma proativa.

  1. Tenha sempre um backup de seus arquivos mais importantes

Certifique-se de que está fazendo backup de seus arquivos importantes regularmente. De preferência em pelo menos dois tipos de mídias distintas. Uma na nuvem e outra gravada em mídia física.

O “plano B” sempre deve ser salvo com autorização de de escrita e leitura, não pode ser alterado.

O backup não te protege da instalação de um ransomware, mas te dá alguma opção de recuperação em caso de ataque.

  1. Cuidado com os e-mails que você recebe

Cuidado com e-mails falsos de remetentes se passando por lojas online ou bancos. Esses e-mails atraem o usuário a clicar em links maliciosos que instalam o malware. Esse método é chamado de phishing. Utilize um sistema de e-mails que te proteja de padrões de e-mail desse tipo, nunca abra links enviados por “bancos”. Bancos não enviam e-mails (NUNCA) a não ser que seja solicitado por você.

  1. Cuidado com as extensões de arquivos

No seu sistema operacional, habilite opções como a “Mostrar extensão de arquivos”. Isso tornará bem mais visível arquivos que são potencialmente maliciosos. Ransomwares são, geralmente, arquivos executáveis ou scripts com extensões do tipo “.exe”, “.vbs”, “.scr”. Ao receber um arquivo que deveria ser uma planilha, imagem, documento de texto com alguma dessas extensões, certamente é um arquivo malicioso. Muito cuidado também com arquivos “.zip”, eles podem conter arquivos mascarados dentro deles.

  1. Mantenha sempre seus sistemas atualizados

Sabe aquelas atualizações de sistemas do uso diário? Windows, Office, Java, Google Chrome, Internet Explorer… Essas atualizações são importantíssimas. Essas atualizações visam proteger os sistemas de vulnerabilidades conhecidas e correções de erros. Desativá-las ou ignorá-las pode ser muito perigoso para o seu sistema.

Portanto, mantenha seus sistemas sempre atualizados.

  1. Tenha um bom sistema de Antivírus

Tenha um sistema de antivírus robusto e proativo. Que faça verificações de sites por reputação e também proteja seu sistema de alterações maliciosas. Existem diversos produtos no mercado que fazem esse tipo de controle. E não, os antivírus grátis não trazem esse nível de segurança para você. Infelizmente.

  1. Utilize um Firewall

Firewalls são equipamentos ou softwares que podem ser comparados ao segurança de uma empresa, só que na rede. Ele é quem sabe quais sistemas estão autorizados a entrar e sair de sua rede e quem pode recebê-los ou acessá-los. O objetivo dele é evitar que sistemas maus tenham acesso mas que o trabalho possa fluir normalmente.

O uso de um Firewall em sua rede eleva o nível de segurança por já barrar acesso a sites maliciosos e em alguns casos inclusive evitar que arquivos infectados sequer adentrem no perímetro de sua rede. Utilize ferramentas de Firewall do tipo “Next-generation” ou “UTM”.

  1. Se perceber algo estranho no computador

Caso você perceba algum comportamento estranho no seu computador, impossibilite o acesso dele a internet tirando o cabo ou desligando a rede sem fio do mesmo. Se o ransomware não conseguiu criptografar todos os dados ou a chave de criptografia ainda estiver no computador, você ainda tem chance de conseguir recuperar seus dados.

  1. Não pague ao criminoso

Caso você tenha seus dados encriptados, não pague o resgate. Primeiramente certifique-se de que o criminoso é capaz de descriptografar seus dados, pedindo uma amostra de um arquivo. Tente sempre pedir aquele arquivo que é mais importante para você mas sem indicar isso ao criminoso. Pode ser que aquele arquivo já salve sua pele. Qualquer pagamento acaba abastecendo esse negócio ilegal.

  1. Tente encontrar formas de descriptografar

Caso seus dispositivos sejam infectados por um ransomware, você devia tentar descobrir o nome do malware. Muitos deles são versões antigas e podem ser relativamente simples restaurar seus arquivos. Os ransomware eram menos avançados no passado.

  1. Previna-se, previna-se e Previna-se…

Google oferece opção para lhe alertar quando seu nome for citado na Internet

Estava dando uma “googlada” no meu nome pra ver o que o gigante tem “falado” de mim pelas redes.

 Eis que, sem querer descobri o Google Alerts (Alertas do Google).

 O Alertas do Google é um serviço que te envia um e-mail sempre que seu nome ou e-mail ou até outras configurações disponíveis é/são citados na internet.

 A configuração é muito fácil.

 1- Acesse https://www.google.com/alerts com sua conta. Caso não use uma conta pode criar um alerta manualmente.

 2- Escolha o seu nome e/ou e-mail


3- Configure os parâmetros que definem quando você será notificado/a. Eu configurei pra receber tudo a todo momento, de todas as regiões e idiomas para testar.


Lembrando que o “Currículo no Google” é utilizado e muito por diversos recrutadores para verificar o que aparece a seu respeito na internet. Vale a pena dar uma googlada no seu nome toda semana ou mês. E com mais essa ferramenta, fica mais fácil ainda.

Criei um aviso para um assunto que me interessa muito para testar a funcionalidade.


E outra coisa legal é que o Google já te recomenda alguns alertas baseado em tendências atuais.




Amazon S3 ou Amazon Glacier

Amazon S3 vs Amazon Glacier: qual ferramenta de armazenamento AWS devo utilizar??

No momento da criação do seu primeiro ambiente AWS (Amazon Web Services), você vai ou pelo menos deveria, considerar uma possível perda de seus dados ou o risco disso acontecer.

Mesmo que você tenha desenvolvido uma solução durável e flexível, isso não vai lhe proteger de erros administrativos, dados corrompidos, ou até ataques ao seus sistema por pessoas mal intencionadas. Como meu professor de Gerenciamento de Risco uma vez me disse, “seu projeto sempre terá riscos, e você nunca irá evitá-los, apenas gerenciá-los”, ou seja, cabe a você, administrador do ambiente cloud, mitigar as chances e/ou impactos dessas possíveis vulnerabilidades do seu sistema. E isso só é possível com uma bela estratégia de backup.

Com o Amazon Simple Storage Service, ou apenas Amazon S3 e seu primo mais novo, Amazon Glacier, os serviços necessários estão a sua disposição para uma solução de bom custo benefício e ainda por cima prático.

Então, Amazon S3 vs Amazon Glacier??

Diferente do Amazon Elastic Block Store (EBS) ou o sistema local de arquivos do seu computador, onde os dados são gerenciados em uma hierarquia de diretórios, Amazon S3 trata os dados como objetos individuais.

Esse formato de armazenamento de dados em uma camada inferior (Storage) pode trazer inúmeros benefícios. Primeiro, Amazon pode prover um serviço de armazenamento durável a preços bem baixos. Você também acaba pagando apenas pela quantidade de armazenamento que você utiliza atualmente. Portanto não se faz necessária a adivinhação, alocação ou provisionamento de espaço futuro.

Amazon S3 vs Amazon Glacier

As regras de ciclo de vida dentro do S3 lhe permitem gerenciar o ciclo dos objetos armazenados no S3. Após um período de tempo você pode ter seus dados automaticamente apagados ou arquivados no Amazon Glacier.

Inclusive você pode criar tags nos arquivos para que apenas aqueles recebam as regras.


O Amazon Glacier é vendido pela Amazon como “uma forma de armazenamento com custo extremamente baixo”. O custo por Terabyte de armazenamento por mês é apenas uma fração do custo do S3. Amazon Glacier é desenhado basicamente como um sistema “write once and retrieve never” (Salve uma vez e não restaure nunca em tradução livre). O que não quer dizer que não tem como recuperar. Calma lá!! A explicação é que ao verificarmos que os valores de recuperação de grandes quantidades de dados possuem taxas bem consideráveis e ao precisarmos de apenas alguns dados, precisamos aguardar, as vezes, mais do que 5 horas, é bom reconsiderar o tipo de arquivo e periodicidade que vai ser necessária para os mesmos nesse tipo de armazenamento.

Amazon S3 com Glacier vs Amazon Glacier

Nesse estágio precisamos salientar a diferença entre o serviço Amazon Glacier “puro” e o Glacier storage class dentro do Amazon S3. Oobjetos do S3 que forem movidos para o Glacier Storage usando as regras de ciclos de vida (lifecycle policies) podem ser apenas restaurados APIs S3 para endpoints. Como são ainda gerenciados como objetos dentro dos, chamados, S3buckets, ao invés de Archives (Arquivos) dentro de Vaults (cofres) que é como são chamados os objetos dentro do Glacier.

A diferenciação é importante quando você olha para os custos dos serviços. Enquanto o Amazon Glacier é muito mais barato do que armazenamento S3, as taxas para solicitações de arquivamento e restauração podem ser até 10x mais altas.

A Amazon ainda reserva 32KB de metadata por arquivamento dentro do Glacier, ao invés de 8KB por objeto no S3, ambos são devolvidos ao usuário. Isto é importante manter em mente durante a elaboração da sua estratégia de backup, principalmente se você está armazenando uma quantidade um grande número de arquivos pequenos. Se esses dados dificilmente precisarão ser recuperados em curtos prazos pode ser mais efetivo, a nível de custos, juntar eles em um arquivamento e armazená-los diretamente dentro do Amazon Glacier.

Amazon S3 — armazenamento de baixo custo, seguro, durável, altamente escalável, fácil de usar, armazenar e recuperar dados de qualquer tamanho, de qualquer parte do mundo. — Uso no dia-dia e com dados que precisam de constantes manutenções.

Amazon Glacier — armazenamento de custo extremamente baixo, seguro, duradouro para arquivamento de backups de dados de longa duração. — Uso no arquivamento de backups mais antigos e que precisam ser mantidos por longos períodos.

Pesquisa Global no Portal Azure

A pesquisa no portal Azure ficou muito melhor. Você pode encontrar recursos, grupos de recursos e assinaturas sem ter de se preocupar com a página que você está acessando dentro do Portal Azure usando a caixa de pesquisa global na barra superior.

Clique na caixa de pesquisa (ou use a o atalho de teclado “/” ), e você terá uma lista dos últimos recursos utilizados no portal. Digite parte do nome de um recurso que você está procurando, e então você terá uma lista de recursos, grupos e inscrições que equivalham a sua pesquisa. Se você procurar por um tipo de recurso, como “máquinas virtuais” ou “bancos de dados SQL”, você pode pular diretamente para uma lista com esses recursos — qualquer coisa que você possa escolher no menu a esquerda.

O recurso de pesquisa está apenas começando, e você pode dar feedback diretamente na interface do Portal Azure. (Faixa verde abaixo da pesquisa)


Crie sua conta grátis e descubra um pouco mais sobre essa plataforma de Plataforma em Nuvem

O paradigma do “Problema da TI” por Arthur Schaefer

Nos 6 anos que trabalho com TI, eu sei não parece muito (mas não acho que seja muito mesmo), tenho sempre percebido a cultura das pessoas que fazem parte das equipes dentro de empresas ou até de clientes no que diz respeito a problemas, incidentes ou requisições de TI.

Vou ilustrar melhor.

Uma pessoa ativa o suporte de TI da empresa ou terceiro com a seguinte solicitação. A impressora está com problema (Qualquer coincidência é mera semelhança). O que um bom Nível 1 de suporte de TI faria? Isso mesmo, solicitaria maiores informações sobre o que está ocorrendo. E o que acontece em seguida? Isso mesmo, o usuário só diz que não sabe, não tem interesse em ajudar na solução e só diz. Tu pode vir ver? Isso quando não fica bravo por ter de responder algumas pequenas perguntas ou então executar procedimentos simples e que podem rapidamente solucionar o caso sem ter de esperar o atendimento. Mas enfim…

Agora vamos pensar um pouco a respeito do por que das perguntas.

O setor de Nível 1 de um centro de Suporte serve justamente para solucionar o mais rapidamente possível problemas ou requisições. Acontece que A MAIORIA dos problemas é rapidamente solucionado com alguns procedimentos simples que o próprio solicitante pode executar.

AAAA, mas isso não é trabalho meu.. É do pessoal da TI.

Ok. Não é mentira. Mas amigo, vamos sentar um minutinho e pensar no seguinte: Caso essa impressora esteja apenas com um papel trancado, ou com o cabo de rede/energia mal conectado e estejam na fila de espera, 1 contrato de milhões de dólares que sua empresa firmou com um cliente, 1 documento importante para que seu trabalho seja levado adiante e mais umas impressões simples mas que são, de certa forma, necessárias no dia dia. O problema é de quem exatamente?? Exato o problema é da organização como um todo.

Então por que o suporte não pode vir aqui logo e ver o que está acontecendo?

Tens razão. Mas e se no mesmo momento a pessoa responsável por atender essa demanda em campo estiver atendendo outra situação que demanda mais tempo e impede a ausência da mesma por esses minutos? A impressora ficará parada por 1, 2 horas?

Então, usuários, centros de suporte… É importante, na ativação do suporte, o MÁXIMO de informação possível, o máximo de empenho na busca pela solução conjunta e a compreensão de que um problema DE TI, não é problema DA TI, é um problema da organização. E sendo da organização, é importante que atingido e suporte se empenhem na busca da solução.

WhatsApp for Web agora funciona no iOS


A alguns meses o WhatsApp lançou uma versão do aplicativo para ser usada na web através de navegadores do computador. Na ocasião, usuários do aplicativo nos dispositivos Apple acabaram ficando “chupando dedo”. O app simplesmente não tinha essa opção.

 Acontece que a última atualização do serviço de mensagens pela Internet mais utilizado no planeta disponibilizou para usuários de iOS a opção de também utilizar o sistema web para trocar mensagens com seus contatos.

 Para usar o sistema é fácil, Acesse, no seu navegador o endereço “web.whatsapp.com” e em seguida procure por “WhatsApp Web” nas configurações do App no iOS. Escaneie o QR Code que aparecerá na tela do computador através do smartphone e seja feliz!!!

Grupos do Skype que participo

O Skype a algum tempo implementou o conceito de grupos públicos. O que é uma função incrivelmente útil e desorganizada ao mesmo tempo. O que é intrigante. Pois as pessoas desses grupos ainda assim curtem participar das conversas por lá.
Pois bem, faço parte de 4 grupos bem interessantes para quem trabalha com TI.

Gestão em TI

O grupo Gestão em TI é fruto do Cooperati na figura do Rafael Bernardes, o qual criou esse grupo pra juntar a galera dos seus cursos, webcasts, listas. É um grupo formado por uma galera boa com conhecimentos nos mais variados assuntos relacionados a TI.
Quer algo sobre TI, lança lá que a galera mata pra ti. Mas prepare-se para uma completa desorganização de respostas e comentários….

Link para fazer parte do grupo: skype:?chat&blob=FL6Zeqy_ZKHiIIdzsDkttYpw6YOU-FMp8tEfQYnyamuJdEKqBRzcCRRSbCDpqzzdL3v3DPSJh693

Grupo GLPI (Skype)

O grupo GLPI é um grupo formado por profissionais que trabalham ou conhecem o sistema de chamados GLPI. Lá a galera troca muita informação a respeito do nosso queridinho que tem ganho mais e mais adeptos. Ainda mais com a roupagem nova que vem por aí!! hehehe

Link para fazer parte do grupo: skype:?chat&blob=p0hz6T83lEthkxB7U-sfDS6Kjdh12eZAc5c42–6iH57P2jjVxDKAHBqPU8LAgBZW5kuuadv41pKtmrRwryPWOdM

IT-ESL Brazil

O grupo IT-ESL Brazil é um grupo recente que nasceu com o objetivo de trocar ideias e conversar a respeito de TI mas apenas em Inglês. Assim se pratica o Inglês e também um pouco de TI. What do you think??

Link para fazer parte do grupo: skype:?chat&blob=31IhQNIAijJe7WHUn_GjbrtE74u2CxhrS6DCZQ021fbmDY5c-QMQ7qsDsTwjaYyyTH4JS6B38Oy3VhE