Minha opinião sobre a “Morte em Espiral” da Evernote

     Tudo começou com um editor de um portal americano de “notícias” resolveu criar o mote, o “Evernote está em Morte em Espiral”.Esse artigo iniciou um movimento manada em portais do mundo inteiro, e claro que o brasil não ficou de fora dessa.

     Traduções rasas, desleais ao real conteúdo dos primeiros artigos originais, frases, títulos e opiniões desastrosas e até irresponsáveis de pessoas que tem nas mãos o alcance orgânico gigante que esses portais entregam a esses(as) editores(as).

     Em grupos onde discutimos ferramentas de produtividade, e obviamente muito sobre Evernote, no Telegram, passamos alguns dias debatendo o caso. E é incrível como palavras mal colocadas por editores ávidos por cliques e visibilidade podem minar a reputação de um software estável, com uma base altíssima de usuários, consistente e em constante evolução.

     Relacionar a saída de alguns executivos com uma “crise financeira” e exclamar categoricamente que, por não acreditarem mais no produto, saíram em efeito manada? É de tamanha irresponsabilidade.Acredito em ciclos profissionais em nossas carreiras. E é natural que em algum momento sigamos nossos caminhos longe das empresas em que estamos hoje, seja por oportunidades melhores ou então por caminhos profissionais. Os artigos deixaram um gostinho de “azar da Evernote, estou indo embora..”.

     Concordo também que a alguns dias atrás a empresa criou um famigerado anúncio para apresentar sua nova logomarca e projeto de imagem. Seus clientes tem aguardado incessantemente por funcionalidades, não por melhorias estéticas em algo que não traz aquele retorno instantâneo. Embora eu tenha gostado muito da comunicação passada internamente a todos nós Consultores Certificados e comunidade. Mostraram um amadurecimento e crescimento interno bastante consistente e que traz certa energia de que o foco e a sinergia no desenvolvimento do produto será ainda maior nos próximos anos.

     O maior problema foi o timing entre o famigerado e frustrante anúncio e o artigo polêmico e irresponsável de portais ávidos por visibilidade.

     Títulos polêmicos, sensacionalistas (Evernote muda seus termos e permite que funcionários leiam suas notas, Fim do Evernote) e rasos de conteúdo não trazem nenhum benefício para usuários de produtos e muito menos para os fabricantes. Apenas visualizações e especulações.

     Por ser uma empresa privada, não temos acesso a relatórios e números financeiros da Evernote. Mas sabemos, através de notícias e entrevistas do CEO, que a empresa tem apresentado resultados positivos e, sinceramente, não acredito em um sumiço repentino do produto. Antes deser descontinuado, pode ser comprado por outra empresa maior, virar IPO para injeção de capital, mudar estratégias de preços, mas “Morte em Espiral”….

     O valor entregue aos usuários que realmente utilizam o sistema é tão grande que me sinto tranquilo em dizer que as pessoas AMAM o Evernote. 
A empresa não parou nos últimos anos, como eu já falei aqui, e já está preparando algumas novas funções focadas no que realmente importa. Foco e produtividade.

Eu acredito, confio, estou com a Evernote e não abro mão!

O paradigma do “Problema da TI” por Arthur Schaefer

Nos 6 anos que trabalho com TI, eu sei não parece muito (mas não acho que seja muito mesmo), tenho sempre percebido a cultura das pessoas que fazem parte das equipes dentro de empresas ou até de clientes no que diz respeito a problemas, incidentes ou requisições de TI.

Vou ilustrar melhor.

Uma pessoa ativa o suporte de TI da empresa ou terceiro com a seguinte solicitação. A impressora está com problema (Qualquer coincidência é mera semelhança). O que um bom Nível 1 de suporte de TI faria? Isso mesmo, solicitaria maiores informações sobre o que está ocorrendo. E o que acontece em seguida? Isso mesmo, o usuário só diz que não sabe, não tem interesse em ajudar na solução e só diz. Tu pode vir ver? Isso quando não fica bravo por ter de responder algumas pequenas perguntas ou então executar procedimentos simples e que podem rapidamente solucionar o caso sem ter de esperar o atendimento. Mas enfim…

Agora vamos pensar um pouco a respeito do por que das perguntas.

O setor de Nível 1 de um centro de Suporte serve justamente para solucionar o mais rapidamente possível problemas ou requisições. Acontece que A MAIORIA dos problemas é rapidamente solucionado com alguns procedimentos simples que o próprio solicitante pode executar.

AAAA, mas isso não é trabalho meu.. É do pessoal da TI.

Ok. Não é mentira. Mas amigo, vamos sentar um minutinho e pensar no seguinte: Caso essa impressora esteja apenas com um papel trancado, ou com o cabo de rede/energia mal conectado e estejam na fila de espera, 1 contrato de milhões de dólares que sua empresa firmou com um cliente, 1 documento importante para que seu trabalho seja levado adiante e mais umas impressões simples mas que são, de certa forma, necessárias no dia dia. O problema é de quem exatamente?? Exato o problema é da organização como um todo.

Então por que o suporte não pode vir aqui logo e ver o que está acontecendo?

Tens razão. Mas e se no mesmo momento a pessoa responsável por atender essa demanda em campo estiver atendendo outra situação que demanda mais tempo e impede a ausência da mesma por esses minutos? A impressora ficará parada por 1, 2 horas?

Então, usuários, centros de suporte… É importante, na ativação do suporte, o MÁXIMO de informação possível, o máximo de empenho na busca pela solução conjunta e a compreensão de que um problema DE TI, não é problema DA TI, é um problema da organização. E sendo da organização, é importante que atingido e suporte se empenhem na busca da solução.